terça-feira, 13 de dezembro de 2011

Sentido de observação tendencioso

Passo dum cabelo com meio metro de comprimento para uma jubinha de pouco mais que qualquer coisa, ninguém dá conta.

Pela primeira vez, do alto dos meus muitos anos, uso um eyeliner. Ninguém vê, ninguém repara.

Vou jantar com quem não convivo quotidianamente, e só os ouço perguntar: "Ela come sempre assim?!" [Sim, eu sou um pequeno alarve que, vai-não-vai, não pode dar sangue por peso insuficiente...]


Estou em crer que entre uma tatuagem no meio da testa e um micrómetro de alface num incisivo, chamavam-me à atenção do segundo...

6 comentários:

Pusinko disse...

Tu não podes dar sangue sempre que queres?
que vergonha.
E um alarve. Devias ser posta na fogueira. A queimar os pecados.
E cabelos compridos? ó menos cortastese-os que os meus demoram século e meio de cada vez :(

Pequeno alarve xD LOL

who's yo' mama ostrich?! disse...

Eu faço festa quando a balança diz que posso dar sangue. Porque a minha balança só diz "sim" ou "não" ;)

E já nem a fogueira me queimaria os pecados, da maneira que isto vai...

E estes cabelos levaram dois séculos e meio a (voltarem) a ser cortados à séria. Mas volta e meia gosto de fazer uma cabeleireira feliz, que quase não há felicidade maior do que decepar uma cabeleira Rapunzeliana!

E eu digo "pequeno alarve" porque sou muito dada a eufemismos :P

Estudante disse...

:P manda-os passear!

who's yo' mama ostrich?! disse...

Estudante, o melhor conselho deles todos, seguido há variadíssimos anos ;)

Pusinko disse...

Irritam-me pessoas alarvianas com dificuldade em atingir peso mínimo para dar sanguinho a quem precise.

Esse senhor que manda no universo é 1 injusto do catano.

who's yo' mama?! disse...

Pusinko, mas tenho outras vicissitudes da vida, não preocupa. Foi-me dado com uma mãozinha, mas retirado com a outra ;)