quarta-feira, 31 de dezembro de 2008

Aí vem ele...


Os meus desejos não são limitados pelo calendário, nem têm validade de apenas um ano. O mesmo se passa com os balanços que vou fazendo. Estou a meio de tanta coisa, há tanta que vai (foi) correndo mal, há tanta outra que ainda quero, que estava bem tramada se me construísse em andares de 365 dias, mais coisa menos coisa.
Mas não me entendam mal,
eu entendo bem tamanho entusiasmo pela chegada do mês de Janeiro e as festas que lhe fazem! Mas uma verdade também, é que não gosto da Passagem d'Ano. Até me fazerem mudar de opinião...

No entanto e não obstante, bom dito cujo.

terça-feira, 30 de dezembro de 2008

Super


Porque te esqueceste que tinhas que tomar conta de mim?

segunda-feira, 29 de dezembro de 2008

Nobel da Economia

domingo, 28 de dezembro de 2008

Velhos hábitos custam a morrer...



quarta-feira, 24 de dezembro de 2008

Feliz Natal!

São os votos do Inevitabilidades! :D

Send your own ElfYourself eCards

terça-feira, 23 de dezembro de 2008

Desenrascanço

Tenho pena que a definição de "desenrascanço" que vigorava na Wikipedia já lá não esteja. No entanto, há por todo o Portugal (e até mais perto do que por vezes julgamos) mostras do dito atributo bem típico deste povo. O mais recente exemplo, pelo menos no meu caminho, é este:


É preciso pôr um sinal num semáforo e não há espaço para tudo? Simples, dá-se uma rotação ao dos peões, e já está! Até pode ser que ninguém note...
(não sei se a foto é por si só explicativa. Primeiro, em situações normais, o semáforo dos peões está de pé. Garanto-vos que aqui não era excepção, até ter sido necessário pôr um sinal de trânsito nesta zona, e que está atrás do semáforos dos automóveis (não tem nada a ver com as setas! É um sinal redondo mesmo "colado" ao semáforo). Ora se o semáforo dos peões estivesse em posição regulamentar, os carros aos quais diz respeito o sinal, não o veriam. Mas então, para quê pensar noutras soluções, se com o semáforo dos peões "deitado" a) os carros vêm o que lhes compete e b) os peões sabem igualmente como se comportar?

Ai Portugal Portugal...

segunda-feira, 22 de dezembro de 2008

Sem hesitações


domingo, 21 de dezembro de 2008

Dezembro é que é o mês do Natal! V


Em Dezembro, as árvores dão pirilampos...

sexta-feira, 19 de dezembro de 2008

Uma partida de S.Bento

O comboio era às 17h45, mas era mais que provável não chegar a tempo. Não faz mal, há o das 18h25. Perde-se um tempinho aqui, olha-se para uma montra ali, até se vai comprar um bolinho à pastelaria, e nem se diz mal dos semáforos!
S. Bento é uma estação de comboios. Os comboios são pontuais e não esperam por ninguém. Além do mais, agora em época de tecnologias, chegada à hora da partida, as portas fecham e não mais voltam a abrir, e o comboio parte atingindo pouco mais demorado que instantaneamente uma velocidade considerável. Antigamente, quando as portas eram tão toscas que abriam só com a trepidação do comboio e o mesmo ia em passo de caracol nos primeiros 700 m, quem se atrasasse um pouquinho ainda conseguia entrar, levar malas e família, que ia tudo também, sem incidentes de maior. S. Bento é uma estação de comboios e os comboios são pontuais. O mínimo a esperar seria que os relógios também o fossem. Mas não. Estão adiantados. Ou seja, quando ainda de fora se olha para o relógio que está no exterior da estação e se vê as horas passadas, pensa-se "Já fui".
Continuando nas calmas a que me forçava a ir, entro na estação e ainda lá estava
Braga a piscar Partida. "Até é numa das linhas mais perto, ainda devo conseguir." Não era à toa que em cinco anos de ciclo era conhecida por Rosa Mota... A única coisa que ainda não estava provada (ou rejeitada) era se a Rosa Mota era igualmente boa em corrida obstáculos. Primeiro, e assazmente frequente em S. Bento: gente a movimentar-se em sentido contrário ou paralelo ao nosso. Explico-me: ou vêm de lá para cá, e nós a querer ir para lá, ou atravessam-se no caminho vindos da direita ou da esquerda, sem que ninguém contasse com eles. Há quem lhe chame teleporte... Primeiro obstáculo então, uma jovem em jeito de formiga perdida do carreiro, atarantada mesmo no momento em que eu por ela tinha que passar. Uns swings para aqui e para ali, e obstáculo transposto. Segue-se a fila de quem está a tirar bilhete nas máquina que, por mão de algum iluminado de luz apagada se lembrou de as pôr em frente às portas. É que dá jeito! Porque quem tem pressa ou não, passa pela porta. Ora como quem tem pressa ou não são poucas pessoas, não dá confusão nenhuma!!! Mais umas fintas, e outro inimigo a menos. Pormenor importante: tenho que obliterar. Na minha miopia vislumbro na linha que me dizia respeito uma máquina. Atinjo então a velocidade de ponta, porque vou bem encaminhada. À medida que o espaço encurta, a miopia também perde efeito, e eis que a máquina era só para os andantes... Isto exige a) uma travagem brusca e mudança de direcção, ou b) desistir e esperar calmamente pelo próximo quim (relembro que no relógio da estação, a hora da partida já tinha sido há uns bons 5 minutos). Mas bem, já que estou lançada e com o sangue a jorrar para os músculos, porque não ir até à máquina e voltar a correr para aqui, não vá ter sorte. Lá vou eu, na tosquice que tão bem me caracteriza, de pasta numa mão, com o bilhete na outra, carteira a cair e com madeixas de cabelo tombadas para a cara, que tinham tudo para serem sexy's, não fosse o momento, até porque quando é o momento, ninguém sabe delas, e chego-me à máquina de bilhete em riste... e a dita cuja estava com uma folhinha a tapar-lhe a ranhura, com umas letras que diziam "AVARIADA" e que eu li "CP, a copular pessoas desde tempos idos (gostamos particularmente das atrasadas)". Lanço um grunho de desagrado, demasiado sonoro ao que pareceu, porque um senhor que na máquina ao lado validava o andante julgou ser para ele, tirou logo o andante da frente da máquina e disse "Já podes, já podes!" (ainda agora julgo que ele viu faíscas a sairem-me dos olhos quando grunhi. De outra forma, não percebo porque um homem se sentiria tão intimidado por uma "eu" esbaforida...). A caminho da outra máquina que me servia -sim!, porque a esta altura, já nem pensar desistir! Depois de tanto passar, ai daquele comboio que parta sem mim!!!-, lá desenhei um sorriso forçado ao senhor e lhe disse "Não, eu queria era a outra...". Já tinha o cartão dentro da máquina quando dei conta de que elas têm um relógio digital ao que eu esperava estar correcto. "17h43". 'Tá quase, mas ainda dá! Mais fácil de pensar do que de o ver feito. *Ronk*ronk*ronk*, gostava eu de saber que diabo se passa dentro das máquinas e com O MEU cartão, que em termos de barulhos me ganham, e que demoram tempus infinitus a mandá-lo cá para fora. Lancei mais uns impropérios, que para além de estar a ficar sem paciência, consta-me que há quem funcione melhor à base de ser achincalhado. Se por isso ou não, a verdade é que o meu cartão lá foi cuspido, e arranco eu mais a minha velocidade para a linha que me esperava. Mas eis que de repente e sem aviso prévio (que é o que tem de normal o ser de repente, é que vem sem aviso prévio...), *DOOOOOR!!!* A coxa, a micro-ruptura passada mas mal sarada, nããããããõo!!! Mas agora, que se ph*da, que nem que deixe aqui a perna, eu HEI-DE entrar naquele comboio!!!
Vamos fazer um ponto da situação: já tinhamos 2 obstáculos ultrapassados (a jovem a meio de caminho e a fila de quem tira bilhetes), 2 imprevistos aniquilados (a falta da máquina e a avaria de outra), e uma dor bastante limitante numa coxa, que se dói a andar, não queiram imaginar a correr... No entanto, já "só" faltava entrar no comboio. Que mais poderia acontecer? Nada! Mentira. Podia sim... E aconteceu. O ideal nestas coisas é entrar logo na primeira porta, que ainda que o espaço por ela delimitado possa estar muito atafulhado, pelo menos já estamos dentro do comboio, que é basicamente o que interessa. Mas eu sou uma cachopa com muita sorte, que toma sempre as decisões acertadas (e que tem um dom especial para a ironia...), e por isso... a porta estava avariada... Tudo bem, tudo bem... Eu vou até à próxima...
*auto-cafuné nas orelhas* Chegada à outra, três marmanjos estavam feitos porteiros de discotecas na entrada, e achas mesmo que facilitamos a quem vem atrasado e quer entrar? Oh facilitas! Mas tudo bem... Eu até já estou a atingir o meu estado zen. Já nem vou a correr para a terceira porta. O desgraçado do comboio que espere, que de mim não leva mais esforço nenhum. Entrei às 17h44, encostei-me no varão, chegaram as 17h45, e lá fui eu, com os bofes de fora, com uma micro-ruptura acordada dum estado de latência que não sabia tão sensível, no comboio que nunca pensei conseguir apanhar se tivesse ido directa para S. Bento, quanto mais parando aqui e ali, e depois de tantas peripécias no espaço mínimo de 2 ou 3 minutos...
Valeu a pena? Vou acreditar que sim, embora não tenha fundamentos por aí além...

quarta-feira, 17 de dezembro de 2008

Dezembro é que é o mês do Natal! IV

Eu acho que é pertinente a pergunta...

terça-feira, 16 de dezembro de 2008

Ei! 'Pera lá... Qu'é aquilo ali no chão?!

Ah. Ok... É bom (e muito mais fácil), assim tudo explicadinho...

segunda-feira, 15 de dezembro de 2008

Dezembro é que é o mês do Natal! III

Finalmente! Inventaram um boneco p'ás supê-crianças do Jet Set! Eis...... o Titucho!!! *caturreira*

"Vá, kiduxa, vá brincar com o seu Titucho e não importune a mummy, que agora 'tá a descansar a beleza."

(isto tem muita mais piada com pronúncia...)

domingo, 14 de dezembro de 2008

Tôd'á gente fon fon fon fon

E é pois a mais pura das verdades! O povo todo fon fon fon, num bis que deixou toda a gente doida, entre palmas e cantorias, como eu há muito não via. E a "Deolinda" já confessou que tão-pouco esta música estava para fazer parte deste "Canção ao Lado". O que seria da galhofice popular desta gente? Aprisionada no comportamento politicamente correcto, sem ordem para sair e fazer das suas? Um bem-haja então a quem no seu mais profundo devaneio ou insurreição atirou com o fon fon fon para a vida do povo!
Todo este "Canção ao Lado" desdobra-se num(em) concerto(s) memorável(eis), sem falar nas vezes em que gira no leitor "lá de casa". E só vos tenho a dizer que pelas três novas amostras que foram apresentadas (duas delas já as conhecia desde Setembro *ihihih*), o próximo CD vai ser igualmente brutal! Que o digam os notários!
E esta Deolinda não faria senão sentido com os quatro que a são. Ninguém a vive como eles, e é estupendo ver um concerto assim! Estou (continuo) extasiada!
Tenho mais uma coisa a acrescentar: é estranho ver médicos doentes. É estranho ver advogados a precisarem de apoio jurídico. É estranho imaginar professores a terem aulas. E é ainda mais estranho ver um cantor na plateia dum concerto! E quem estava hoje a ver os Deolinda, quem? A Manuela Azevedo!!! É que ainda estranhar mais do que um cantor a ver um concerto, é tudo isto se ter passado em Vila Nova de Famalicão!

Tempo agora para uma pequena dissertação...
Há um fenómeno Deolinda.
Quando em princípios de Setembro os fui ver, das duas uma: ou a Junta de Freguesia da Póvoa e Varzim mandou os velhotes todos para o Diana Bar para ter a certeza de casa cheia, ou os ditos velhotes ao saberem que a Deolinda ia actuar, pensaram que era uma fadista do "f" a "a" sem mais considerações à mistura, e ala ver o que dali sai. Saiu, é verdade, uma coisa muito boa. Mas o que quero salientar é que a faixa etária desse concerto andava bem próxima da idade que a minha mãe terá daqui a uns 7 anos. Hoje, a quantidade de pessoal cota era quase irrisória face à quantidade de gente dos seus vinte e's.
Primeiro ponto: a Deolinda atrai gente de todas as idades mas com principal ênfase para a malta jovem, tendo no entanto tudo para que assim não fosse.

Já no supra-citado primeiro concerto que deles vi, havia velhotas a dizer que já os tinham visto aqui e ali, e que se estavam a preparar para ir acolá e aonde mais houvesse. Hoje passou-se o mesmo. Há gente já com lugar marcado em concertos para Janeiro depois de pelo menos este em Dezembro.
Segundo ponto: a Deolinda anda a seguida por apaixonados, com paixões como há muito não se veêm. Em tempos em que anda tudo numa de descartar sentimentos que muitas vezes nem sequer chegam a sê-lo, em que se usam pessoas e momentos já a pensar em quem virá a seguir, sem se ter cuidado sequer ao deitar fora, é bom ver paixões arrebatadoras do género. A Deolinda tem pois que estar toda babada em ter tantos enamorados a correr atrás dela para onde quer que ela vá. Quem dera a muitas...
Mas enfim, assim como assim, nenhuma como a Deolinda.

E eu, que lá voltei a entrar na casa certa, a casa onde a Deolinda estava :)

quinta-feira, 11 de dezembro de 2008

Ice Tea

"Lidl, a facilitar a vida de uniglotas desde o primeiro dia"

O Mundo devia ser um Lidl gigante! Ajuda à compreensão imediata das coisas, mas não sem antes nos puxar um bocadinho pela capacidade cognitiva. Ou julgam que aquele "E" no início não tem outro senão esse objectivo? Se fosse tudo de caras, para além de ser um "A", era demasiado evidente e não passaríamos de humanóides como que programados para chegar, ver, mas nunca vencer...
Ai Lidl, Lidl... Fosse tudo tão simples quanto tu...

quarta-feira, 10 de dezembro de 2008

Dezembro é que é o mês do Natal! II



"I think it's to hit the reindeer!" xD
Ainda bem que não tenho filhos...

terça-feira, 9 de dezembro de 2008

Popota II

-E tu Popota, que queres para o Natal?
E responde a gourda:
-Quero uma causa maior, que a minha é pequena e eu já não caibo nas pourtas!

segunda-feira, 8 de dezembro de 2008

Ilha

Não é um bocado ilógico, incongruente, incoerente, contraditório, haver um "Continente" na Madeira?

(é que nem sei porque é que me lembrei disto... *assobio*)

domingo, 7 de dezembro de 2008

Dezembro é que é o mês do Natal! I

E alguém devia ter avisado o Lobo Mau...

sábado, 6 de dezembro de 2008

Vou-te contar um segredo

O que sei de ternura, de desespero, de assombro, nasceu nesse tempo: um rebramir longínquo, reparem. Curioseava pelas ruas desta parte da cidade, até agora desconhecidas; tropéis de casaria de cor incerta, janelas baixas, com grades; uma tristeza mesquinha e fétida e criaturas que nem reparavam onde viviam. (...) Digamos que descobrira algo de imponderável: ruas profusas, sonhos diuturnos, a aflição rudimentar de vaguear por um sítio ignorado e desbravá-lo a só.

Cão Velho Entre Flores, Baptista-Bastos


Na Avenida das Tílias despidas, que de terra se faz por entre bancos de madeira vermelhos e desalinhados, ramos erguidos e verdes e amarelos nascidos de folhas quebradiças sob os nossos passos, e uma ou outra que na sua loucura ou fraqueza se desprendeu para a morte e ainda paira no ar, logo depois do som da água a correr cessar, dos patos e dos pavões se calarem, ergue-se todos os dias que indiferentemente passam por ela e lhe atiram raios de Sol ou gotas de chuva numa constante inconstância a que certamente já se habituou, lhe mostram pessoas que nunca para ela olham nem dela dão conta, uma capela. Triste, fria, cinzenta, com a mesma fronteira verde de buraco de fechadura enorme que a separa do Mundo profano como toda e qualquer capela o deve ser. Há no entanto algo de diferente nesta. Há a curiosidade. Há o frio na nuca e o arrepio nas pernas ao se chegar perto dela. Ao baixar a cabeça até à fechadura e sentir o cheiro de séculos na tinta da porta. Há o ar bafiento e gelado de calor humano que dela emana. Há um relance de vista poeirento. Há a estória que tudo isto nos conta, de reis e batalhas, e preces desesperadas e não atendidas, vontades que a Mão Divina não tocou, choros e cabeças baixas, joelhos doridos por tanto dado e tanto pedido. E há uma estátua. Esta capela é diferente. Sim, estão lá os bancos, mas não o altar. Sim, está lá a face condoída de dores sentidas e uma cruz. Mas em vez de um corpo nu, sofrido, encolhido até onde os cravos deixavam, está um homem de pé, de opa vestido, com a cruz a um ombro, a olhar a clarabóia por onde entra o Céu, com feições que dizem: "Eu fico aqui a tomar conta dela até Tu voltares. Mas bolas, se ela não é pesada!..."

sexta-feira, 5 de dezembro de 2008

Dezembro é que é o mês do Natal!

Tive uma ideia...
Pronto, lá vem ela outra vez!
Não não!, esta é uma muito boa ideia (como vem sendo meu apanágio...)
Sim, sim...
Hei! Não sejam assim, vá.
Diz lá...
Se é assim por tanto favor, quase que mais valia não dizer!
Ohh... A Bilinha amuada... Cutxi cutxi cutxi...
Estúpidos... Mas pronto, então é assim! Com a chegada do Natal aparecem brinquedos e brinquedos e mais brinquedos. Uns mais atractivos que outros, uns apoiados pela DECO outros nem por isso, uns que são realmente um sucesso, outros que se limitam a ser vendidos, outros que nem merecem o relance de um olhar deslumbrado dum puto. E é para resolver o problema dessas marcas que não conseguem cativar, que apareço eu.
Cá vamos nós...
Shiu! Até ao fim. Aguentem-se até ao fim... Como estava eu a dizer, descobri nos recantos da minha imaginação uma invenção que mudaria drasticamente a venda de brinquedos. Preparados? :D
Que remédio... Chuta...
É o Action Man Bombista -Suicída! Passo a enumerar os prós do dito cujo, já que não preciso de vender a ideia, porque ela vende-se sozinha. 1. É um Action Man, e os miúdos são doidos por eles; 2. Os ditos "homens" são sempre interactivos, tornando a brincadeira mais real; 3. Focando esta ideia, não é difícil perceber que depois de estourarem com o primeiro, iriam querer outro e mais outro e mais outro, num ciclo mais que vicioso, virtuoso, para continuar a desenfreada diversão! 4. Para além de puxarem pela imaginação, que é para o que a bonecada serve, ainda ensinavam alguma coisa sobre História Mundial! É ou não é perfeito?
...
Ingratos! a Mattel que me descubra!!! E eu hei-de ter caziliões de Action Man's, e não vou dar unzinho sequer a nenhum de vocês! Ingratos...

quinta-feira, 4 de dezembro de 2008

Pimba Açoreano

Tive que ser chamada à atenção para esta pérola musical. Não percebo porque coisas com tamanha qualidade não são mais conhecidas!
É pois então sem mais demoras que vos apresento José Nazário com "Os Lábios Dela"!




Andávamos a perder muito até aqui, não andávamos?...

(Um muito obrigado ao Mendes)

domingo, 30 de novembro de 2008

Canção da Cacofonia



É que nunca usam o nome "Raquel" para nada...
Excepto quando não o deviam usar! (E até há alturas em que na base do engano, eu não me importava nada que o usassem... Mas não é disso que aqui se trata). O nome "Raquel" é como Portugal: este último, está em posições de destaque no que e quando não deve, e quando é pouco simpático usarem o nome, aí está ele!

Mas que é verdade que este blog ganha imenso com este sonoro "mix Quim Barreiros-António Variações" (que é aliás assim que eu imagino um dueto entre ambos), isso sem sombra de dúvidas!
Já deram conta da censura na "perna" do... Cação ou do Pargo, não os distingo? xD

sábado, 29 de novembro de 2008

1 X 2

Maldito empate...

sexta-feira, 28 de novembro de 2008

Amor Clandestino

Antes todos os amores fossem clandestinos, que as lágrimas por eles caídas, só o seriam uma vez.
Antes todos os amores fossem clandestinos, que não se esperava mais e que só a morte quebraria os compromissos.
Antes todos os amores fossem clandestinos, que antes morreres-me nos braços, que ires morrendo aos poucos em braços alheios.
Antes todos os amores fossem clandestinos, que em combinar não esperar e esperar... é igual aos outros...

segunda-feira, 24 de novembro de 2008

Inspiração...

...porque há quem dela precise ;)


sábado, 22 de novembro de 2008

Popota

Serei eu a única a ter acessos de regurgitação quando passam na televisão os anúncios da Popota?

sexta-feira, 21 de novembro de 2008

Sarah Palin - Ex - Cadidata a Vice-Presidente dos USA,Esposa, Mãe, e ...




Dear Governor Palin:Please let this writing serve as an official request.

In light of the recent election results, Cezar Capone Productions would like to make you a formal offer of $2,000,000 to star in an adult “MILF” production.I am sure you are unaware that Cezar Capone is the KING of all “MILF” films. T

his one time offer also guarantees that you can walk away from our beautiful set with a newer and sexier wardrobe to make up for the $150,000 worth of clothes you had to give back to the GOP.You may be asking yourself why you should even consider such a crazy proposition?The answer is simple; this film will be shot in high definition, and be a glossy, adult production starring a beautiful mother recognized by all of America as well as the rest of the world -the most desirable woman over 40!

The film will be distributed internationally on DVD, as well as the website will reside on palinsupermilf.comPlease do not take this offer in jest, as it is completely legitimate, we at Cezar Capone are prepared to put the money in escrow immediately.

We have taken into consideration that there may be some hesitation to star in an adult production with male talent other than your husband so we are also prepared to kick in an extra $100,000.00 for your husband Todd to star in the movie with you, along with a brand new Arctic Cat snowmobile for him to sweeten the deal.

We are anxiously awaiting your reply.

Sincerely,
Cezar Capone



Fonte: Cezar Capone


P.S.-> A imagem apenas serve como referência para as pessoas que não têm conhecimento da imagem da Sra. Palin. Qualquer semelhança com a realidade futura é apenas coincidência.

quinta-feira, 20 de novembro de 2008

Momento Hilariante

6-2

xD

quarta-feira, 12 de novembro de 2008

Era engano...

-Quem era?

Era (mais?) complicado disfarçar na altura...

terça-feira, 11 de novembro de 2008

Fazes muito mais que o Sol


Não apetece piscar o olho a alguém quando se ouve esta música? A mim apetece ;)

sábado, 8 de novembro de 2008

Depois de um coelhos e dois pássaros, um rato

Lá ia eu na minha, porque ainda não vou tendo autorização para andar na de outros, quando eis senão que me surge no campo de visão, saltitante, assustado, fugidio, ou simplesmente parvalhão, um rato. O que, por si só, já era estranho o suficiente, tornou-se mais caricato. Ao vê-lo em tais preparos e porque, volto a dizer, há coisas para as quais não estou preparada ou, pelo menos, a contar com, segui-o com o olhar. E o que fez o desgraçado?! Tentou saltar um daqueles micro-muros que há, a separar os jardins dos passeios. Primeiro, quando digo "micro-muro", é mesmo "micro-muro", uma daquelas "lombinhas" de cimento (espero mesmo estar-me a fazer entender). Segundo, quando digo "tentou", é mesmo "tentou", porque ainda que lançado feito foguete, o desgraçado do bicho não atinou com a altura do murinho, e espetou-se contra ele. E quando digo "espetou-se contra ele" é mesmo "espetou-se contra ele", assim à desenho animado, numa daquelas imagens que sonorizam logo um *ponks*, o bicho de patas no ar e costados no chão, um levantar atordoado, um abanar de cabeça, pronto logo para seguir caminho, que da forma que ia, havia mesmo de ter destino. Nem houve duas sem três, nem só à terceira é que foi de vez. Feliz daquele que aprende à primeira, e que quando cai se levanta sem queixume aparente.
Não tive senão remédio que me rir a bom rir. Só posso mesmo ser feliz duma felicidade que nos extravasa o ar pelas cordas vocais e nos espasma o diafragma, sem vergonhas nem embaraços. Pois bem que assim seja. É fantástico tamanha leveza!

quarta-feira, 5 de novembro de 2008

Os Negrinho é Presidente!

Yá, eles puderam

Os Contemporâneos - Música Buraka Obama

Yes, he could

Yes We Can - Barack Obama Music Video

(Manel, não babe, 'tá? Não tendo intuito político, este post muito menos tem intuito... coiso... :P )

terça-feira, 4 de novembro de 2008

Ontem coelhos, hoje pássaros ou O Dia em que o Mundo Tropeçou

Confiamos na força da gravidade. É certo que às vezes nem dá tanto jeito quanto isso, como sendo quando se tem porta-lápis de lata e eles caem da mesa abaixo (ah Fleming... Assim à distância, que saudades!) -e que perceba quem sabe-; como sendo quando se tenta passar a carteira duma mão para a outra e se atrapalhem os dedos; como sendo quando se tropeça em pés próprios ou alheios. Mas para uma coisa pelo menos, é certo que ela sirva: manter cada macaco no seu galho, que é como quem diz, quem tem que andar rente ao chão, que ande, quem tem que voar, que voe.
No entanto, acontece que ao Mundo também aparecem obstáculos à frente, quanto mais não seja, daqueles inventados por visões mais ou menos esquizofrénicas, mas nunca, nunca, fiáveis. Seja como for, ele lá acaba por tropeçar momentaneamente e, quem anda mais absorto do que o rodeia, e por conseguinte com mais clareza de espírito e mente para estes fenómenos, sente-lhe os efeitos. Aconteceu-me a mim, pois claro, quando essa enorme bolha que anda sempre à minha volta, que nunca necessita de produtos engarrafados, foi furada por, imagine-se, dois pássaros envolvidos em cenas e factos de pancadaria. Caem duma árvore, queda essa com todas as letras que dela fazem parte, por mais surreal que possa parecer (mas lembrem-se que estavamos a viver um pedaço de tempo anormal), PI PI PI PI PI pumba em cima da minha cabeça, donde rebolam angalfinhados PI PI PI PI PI para o meu braço, deixando como prova uma pena arrancada ou caída no calor da discussão. Se seriam um casal absorto em problemáticas matrimoniais; se seriam jovens imaturos e hormonais por alturas do cio a baterem-se de formas Juanescas por uma fêmea; se seriam vizinhas de ninho, beatas e cuscuvilheiras em alvoroçada discórdia, não sei, mas que levei com eles em cima, lá isso levei, e que tal não estava suposto acontecer e para o qual nunca ninguém nos preparou, lá isso não...
Que eu tenho um não-sei-quê que atrai inergumes, já todos sabíamos. Agora, ser mais forte que a força da gravidade em lutas contra a sustentação do ar em asas de piscos, essa até para mim é nova. Das duas uma, ou sou um buraco negro daqueles, ou não...

segunda-feira, 3 de novembro de 2008

Raquel no País Das Maravilhas

"-Viste um coelho?!"
-Vi :)

domingo, 26 de outubro de 2008

Propagandas RTP 1

Têm visto as propagandas dos programas da RTP1? Estão geniais!!!

"Olha Quem Dança"



"Prós e Contras"



Desporto

sexta-feira, 24 de outubro de 2008

Contra o Aquecimento-Global

Temos a braços a dificílima -e espero que não utópica- tarefa de travar o mal-fadado Aquecimento Global. Ora toda a gente deposita as maiores esperanças não em si mesmo e nas boas-acções diárias que faz, como sendo separar o lixo, poupar água, desligar os carregadores dos telemóveis da corrente e et caetera's; não é no vizinho, do lado, de cima, de outra cidade, de outro país, para que faça o mesmo e com tanta ou mais regularidade que o próprio., se possível; não é em deuses nem todo-poderosos. É pois na comunidade científica em geral, nos "cientistas" em particular. E é pois também, que com o peso que tal me faz nos ombros, tive uma ideia que acabaria com este flagelo de calor fora de tempo, chuvas intermináveis fora de horas, mares revoltos e com as não 4 mas 365 estações por ano. (e que cheira a Prémio Nobel, duma maneira assustadora!) :P *parvalhona*
Ora, umas das maiores preocupações é a emissão de Dióxido de Carbono -o mítico CO2- para a atmosfera. (o Ozono, que é um ga(z)jo delicado, que o diga!) Portanto, quer-me a mim parecer que acabando, ou pelo menos diminuindo as ditas emissões, compraríamos um bocadinho mais de tempo ao Planeta, bem como um clima mais regular para todos nós. Não, não vou cair em piadas fáceis do género "deixem os feijões de conserva", "abaixo as feijoadas", até porque a) isto é um assunto sério; b) eu estou a ser séria; e c) as feijoadas são boas! O que proponho é bastante mais fácil, rápido e, pelo menos teoricamente, eficaz, e não incomoda nem, chateia ninguém! Então vejamos: qual é o gáz que expelimos aquando duma expiração? Parabéns aos que pensaram no CO2! Agora, quantos chineses há, só na China? Eu digo-vos, porque sou amiga da tia Wikitravel, e ela disse-me... São 1 321 851 888! (para ser mais exacta, eram, em Julho de 2007). Para cima de 1,3 biliões de pessoas a respirar continuamente, dia após dia, 24 horas por dia, 365 dias por ano, a conspurcarem a atmosfera com CO2!!! Proponho então que esta catrefada de gente se digne a suster a respiração por pelo menos 2 minutos por dia. Não custa nada, e se conseguirem esticar esse tempo para, digamos, 10 minutos diários (repartidos, obviamente), podem até, ao fim de um mês, ir de carro para o trabalho, e deixar o metro para os fraquinhos de pulmões e diafragma! :D

Não é por mim, é por ela...

domingo, 19 de outubro de 2008

A festa da Taça

Estádio da Luz, 19 de Outubro 2008, Benfica vs Penafiel para a Taça de Portugal.

O jogo não corre "de feição" aos "encarnados", que chegam ao final do prolongamento com o jogo empatado a zero.

É preciso motivar os jogadores, é preciso que uma qualquer força divina se faça sentir, é preciso um sinal que transmita às gaiv.. às águias alguma energia extra para vencer o jogo.

E esse sinal faz-se sentir, através do sistema sonoro da Luz:


VILLAGE PEOPLE com YMCA


E a verdade é que lá ganharam... as interpretações ficam para vocês ;)

terça-feira, 14 de outubro de 2008

O Perigo dos Jantares (modificado, a pedido de várias famílias) ou A Teoria do Caos Revisitada

Não é tanto o que se diz e o que se faz. Podia ser. Mas não é. É mais o saltar à memória à posteriori as coisas que se disseram e fizeram. E porquê? Porque resulta num ataque de riso monologal que, diga-se, não é das coisas que melhor imagem nos dá...


O que acontece quando se junta gente com idade para ter juízo, com a falta de juízo que lhes é inerente, com caloiros com menos juízo que os primeiros, com Morangos e Açúcar, vinho verde e cerveja? Um soluço do tempo, certamente...
Sem propósito absolutamente nenhum, nascida do bater das asas duma borboleta no Afeganistão, eis que surge a ideia. Daí à concretização, vai um passo que faria o Neil sentir-se completamente fútil.

Milhões e milhões de tartaruguinhas atravessam o Rio Amazonas: a Geração Morangos com Açúcar conhece (desperta?) um Nobita que nem nós, que já cá andamos desde os tempos da Rua Sésamo, conhecíamos.

Guaxinins Anões migram por entre vales e montanhas Peruanas: Stifler; para os amigos, Stifmeister; para os amigos dos amigos, Óscar, "até se sente bem aqui no meio" (Pudera!!!).

Whitney Houston espirra debaixo do Sol abrasador da Califórnia: tropeça a língua no céu dalguma boca, e já há quem lhe chame Kevím Custenér e dela queira ser bodyguard...

Um peixe das calmas águas do Pacífico tem uma escama encravada: crescem cabelos de 2,50 / 3,00 m nas mesas de jantar.

O parafuso 3K4-5007FJ ganha folga no painel lateral do Satélite H5-ibelieveicanfly-2002: vem à baila sem razão aparente "o Bond de que a Bila gosta".

Um macaco Senegalês descobre da pior maneira que o primo-sobrinho-enteado com quem partilha o ramo da árvore, tem sinosite: gente com menos de 30 anos usa expressões como "molhar a sopa".

Um golfinho do Sado está farto de ser apelidado "fofinho", e começa a dar-se com as sardinhas: há quem acredite nos meus 16 anos...

Uma formiga do Serengueti tropeça numa das patas enquanto carrega 8x o seu peso em matéria morta: nasce uma lomba momentânea e invísivel aos pés do espírito de manada mais personificado dos últimos tempos, e caem embrulhados dois bichos sem a comum reacção de esticar os braços à medida que o cimento do chão se aproxima, para amparar a queda.

Um crocodilo acorda melancólico na África subsariana: um mosquito morto e ressequido torna-se estaladiço e deixa uma asa em cada metade do pão assim que alguém o abre. (Mas lá que o pão bateu asas depois disto, lá isso bateu... *assobio*)

Um leão marca território no Congo: alguém confia uma garrafa de receita à Bila.

Um salmão sente tendências suicidas nas gélidas águas do Canadá, e deixa-se ir na corrente em vez de lutar contra ela: ninguém liga ao que a Bila diz. Mas se for o Topinho, aahhh uhhh, já vão todos atrás feitos carneiros!!!

Uma foca bebé caça o seu primeiro peixe num moulin do Ártico: o declive da rua do Piolho dá asos a uma inflacção estranha.

Um floco de neve desprende-se duma montanha Nepalesa: já se fala Francês, e canta Francês, e diz-se disparates em Francês.

Uma lentilha é arrastada anemocoriamente no Jardim do Botânico: ensina-se Italiano baseado na escolinha Mourinho-Bellini



No entanto, e aos olhos dos menos perspicazes, a vida continua igual a si própria, como sempre, como dantes, um dia depois...

sexta-feira, 10 de outubro de 2008

Da Rússia, com amor

À primeira vista, a Rússia longínqua, fria, comunista, imperial ou democrática não nos diz muito. No entanto, não é preciso grande esforço para chegarmos às Matrioshkas, e ainda menos para a vodka, os KGB's e a Kalinka (que pode dar muito jeito quando internacionalizamos o gosto pelo álcool e não se o acompanha com os comprimidos milagrosos (vermelhos e pretos, não os azuis...)). Mas há mais. Da Rússia chegam também professores, e com eles, toda uma nova panóplia de sons e (des)usos da gramática Portuguesa, que fariam o Camões furar com um lápis o olho que lhe sobrou, por puro desespero. Creio que todos os aspirantes a cientistas por farte da nobrérrima FCUP conhecem, quanto mais não seja, de nome, o Smirnov, Professor desta casa. Ora eu tive o prazer de ter uma aula com ele e, digo-vos, foi das aulas mais fantásticas que tive até hoje! A pronúncia do senhor, é deliciosa; o efeminizar tudo quanto diz, é a cereja no topo do bolo; o uso pouco ortodoxo do quadro, seria invenção para durar, caso fosse descoberto pelos Americanos. A maior preocupação dele é a aritmética. No final de cada conta, por mais elementar que seja, solta uns "Vërifïcä", grosso modo em número de dois, e os dizeres que quase me fizeram perder a compostura foram dois resultados, que numa outra aula qualquer, passariam completamente despercebidos, mas numa aula com o Smirnov, e depois de tantos salpicos de apalavreado de Português temperado, 4/3 serem "qüatro tërças" e 5/2, "cincuo meias", roubam a decência ao mais desatento. Na recta final da aula (e ainda bem que só aí), o percurso dum exercício no quadro vai da esquerda para a direita (normalíssimo), depois, de cima para baixo, (aceitável) seguindo depois da direita para a esquerda, num acavalitar de números e parêntises, que ninguém se entende!
É um facto que nunca uma aula foi tão proveitosa e tão descontraída ao mesmo tempo, chegando mesmo a tender para a boa-disposição agalhofada. De mais a mais, este tipo de coisas testa a minha capacidade de conter o riso, o que chega a ser útil não raras vezes. Só queria que a minha professora continuasse doente (coitada da senhora, não é nada pessoal nem sequer contra ela), para continuar a usufruir do que a Rússia tem de melhor!

terça-feira, 7 de outubro de 2008

Lê os meus lábios...



MusicPlaylist
Music Playlist at MixPod.com

terça-feira, 30 de setembro de 2008

Acordo Ortográfico II

E por falar em Acordo Ortográfico, tenho, com a ajuda dos parvalhões dos meus primos -e digo isto com todo o carinho que me é possível-, duas palavras (e todos os tempos verbais a elas inerentes), que acho deviam entrar para o vocabulário Português. E são elas "susquir" e "espilrar".

Definições:

susquir
verbo transitivo da terceira conjugação

sorver
absorver por meio de sucção, o fiozinho de baba, sopa, ou qualquer outro líquido que vai a cair, trazendo-o de volta ou para (ao) o interior da boca.


espilrar
verbo transitivo da primeira conjugação

espirrar
esguichar
salpicar

espilro
substantivo masculino

salpico de água ou o que quer que seja
espirro


Exemplos:

1. Se não susquisse a compota da borda da torrada, arranjava maneira de me badalhocar toda.
2. A batata caiu da colher e espilrou no molho do assado.

Está assim provada a falta que estes dois vocábulos, que espero, tenham conquistado o vosso léxico, fazem à Língua Portuguesa. São palavras que vão muito além das já existentes "sorver" e "espirrar", e para cujos significados nunca antes se havia descoberto forma tão sucinta e ´rática de exprimir. O Latim é uma Língua morta, mas o Português não precisa de o ser!
A todos os quantos ainda me dão ouvidos, um bem haja!

domingo, 28 de setembro de 2008

Nuvens

sexta-feira, 26 de setembro de 2008

Acordo Ortográfico

Não concordo com nada do que para aí vem, e mais do que não concordar, discordo veementemente, mas tenho uma proposta que, mais do que figurar neste Acordo Ortográfico, deveria só ela ser suficiente para criar um Acordo Ortográfico per se.
Senão, vejamos, já por várias vezes vos terá assomado a dúvida "é com 'x' ou 'ch' que se escreve tal palavra?". E sempre colocaram a questão desta forma, e não "será que se escreve com 'x' ou 'c'?"!, porquê? Porque o 'ch' funciona como um todo. Ora então, nada faria mais sentido na Língua Portuguesa, do que institucionalizar-se o 'ch' como letra! Por todos os tributos que tem dado à nossa cultura, acho que seria o mínimo a fazer por ele, já que ninguém teve contemplações aquando deste tipo de tratamento ao 'k', 'y', e 'w'.
Passaria então o nosso alfabeto a ser:
a b c d e f g h i j k l m n o p q r s t u v w x ch y z

É uma pena para o País eu não ser deputada e poder expor as minhas ideias na AR...

terça-feira, 23 de setembro de 2008

Há muitos muitos anos atrás...

Uuupss...

segunda-feira, 22 de setembro de 2008

O que mais me chateia nos dias de chuva...


... são os postes de iluminação dos nossos passeios!

Principalmente aqueles que não deixam espaço suficiente para uma pessoa passar tranquilamente com o seu guarda-chuva, situação que poderá ser ultrapassada potencialmente de 3 maneiras:
- ir pela estrada -> um carro passa e a pessoa molha-se;
- inclinar ligeiramente o guarda-chuva -> a pessoa molha-se;
- fechar ligeiramente o guarda-chuva -> a pessoa molha-se.


quinta-feira, 18 de setembro de 2008

Como matar a infância em, digamos, 3 passos

1º., usa-se uma série nostálgica;

2º., aparvalha-se q.b.;

3º., está pronto a servir!


Unnecessary Censorship Sesame Street Edition - Watch more free videos

xD mas 'tá muito bom!!!

quarta-feira, 17 de setembro de 2008

"E as tuas mãos foram minhas com calma"

É verdade que puxa ao sentimento. É. Mas não é menos verdade que ainda me encontro em estado zen, envolta ainda em resquícios do Verão e das férias, por isso, vou-lhe extrair "apenas" a dedicatória a todos quantos, pelo menos alguma vez, me fizeram sentir "like a million bucks"! :)


MusicPlaylist
Music Playlist at MixPod.com


Quanto às estórias, pode ser que um dias vo-las conte. Do café cuja renda exige mais que uma meia-de-leite e uma torrada por dia, os dias bons, e cuja venda dos vasos foi desespero necessário para fazer algum; da "nossa peixeira", dos cabos do mar e do Presidente da Câmara; do mergulho que nos deixa sem pé, e do mar a arrastar, numa praia deserta de gente que faz tudo com hora marcada; do homem que em cada 4 palavras, conseguia dizer 5 palavrões; dos grunhos e filhos de gente parva, e dos desacertos na bola, como tão bem se joga lá na terra; do "amor à bola"; da "Raquel, sua naughty"; do horário dos GNR de bicicletas coincidentemente coincidente com outros horários; da cara aparecida numa casca de laranja que valeria milhões no e-bay... houve, como é apanágio do Verão, de tudo um pouco. É só escolher...


E já agora, estou de volta e vou voltar à carga, mas obrigada por manterem esta escada rolante em forma de blog a andar na minha "ausência", e sintam-se, mais do que à-vontade, forçados mesmo, a continuarem como tão bem nunca me habituaram ;)

terça-feira, 16 de setembro de 2008

Gato Ninja




LOL eu lembro-me de jogar isto em criança xD

sexta-feira, 29 de agosto de 2008

Campanha (continua sem ser a estação de comboios)

quinta-feira, 21 de agosto de 2008

Na minha cabeça fazia tanto sentido xD

quinta-feira, 31 de julho de 2008

O 31 de Julho

É só para lembrar aos interessados (e aos outros também, porque não...), que hoje "é o melhor dia para casar sem sofrer nenhum desgosto", já toda a gente sabe porquê. E agora ia escrever "que o digam a Marta e o Mendes", mas não escrevo, porque ela era bem capaz de dizer, e ia ser aqui uma sem-vergonhice desgraçada... ;)

(queria pôr aqui a música, mas não a encontrei, e sem que eu perceba porquê, os vídeos no YouTube também não corresponderam, mas como eu sei que todos vocês a têm no computador (caso contrário, façam favor de se sentirem indignos do ar que respiram :P ), ouçam-na a vosso bel-prazer ;) )

terça-feira, 29 de julho de 2008

Pó pi pá ron pó pi pá rê

"E mais uma onomatopeia para quê?", perguntam vocês. Ora, para dar a conhecer a quem não conhece (e pelos vistos a quem conhece :P ), esta grande *risos* cidade que é Vila Nova de Famalicão, à qual os senhores do Modelo andam, erradamente, a chamar de Famalicão... *incultos*
Até parecemos uma cidade a sério xD


NOTA: o murcãozinho que aparece a dizer o porquê de irmos ao Modelo, tanto quanto sei, não é de cá, mas que foi escolhido a dedo, lá disso ninguém duvida...

sábado, 26 de julho de 2008

Shap shu ra ra ran


MusicPlaylist
Music Playlist at MixPod.com


Para aquelas pessoas que se metiam comigo quando eu dizia que o hino Francês me fazia lembrar esta música (tomem, seus incultos! :D );
Porque ando absolutamente viciadona nos Beatles (e de quem é a culpa? ;) );
E porque estou feliz, não sei porquê (mas já aprendi a não duvidar nem por em causa as coisas quando elas estão bem).

OK, e porque, ainda que utopicamente, :D

(ui, que estou a ficar muito melada... Oo )

sexta-feira, 25 de julho de 2008

Simon's Cat




aqui está mais um video deste fantastico gato :)

quinta-feira, 24 de julho de 2008

Bang Bang

Ainda te admiras?

Tens dois dedos encostados à fronte, feitos pistola numa qualquer realidade, à espera que um acaso lhes materialize uma bala dentro, a qual não verás quando te penetrar na carne, levando-te à frente imagens e pensamentos, misturando-te memórias e vontades,
num emaranhado de sangue, ossos, massa cinzenta, nessa papa inerte que nada vale agora cujo movimento lhe é forçado, sem teres tempo de pensar na vida que foi.
Para já, são só dois dedos.

Ainda te admiras?

Quantas vezes te fugiu o chão debaixo dos pés? Quantas vezes uma montanha-russa se desenhou no mais plácidos e inimaginável dos lugares, e uma descida vertiginosa sem saíres do sítio, te levou o coração à boca, te apertou o estômago, te descontrolou a adrenalina?
Quantas dessas vezes te esqueceste de apertar o cinto?

Ainda te admiras?

Quanto ódio cabe numa pessoa tão pequenina? Quanta dor, quanto arrependimento? Quanta força?

Ainda te admiras?

Quantos olhos precisas para ver o que está lá; quantos dos que tens terias que dispensar para não ver o que não está?

Ainda te admiras?

Quantos pecados até a absolvição final? Quantas penitências impedem a entrada directa no Inferno?


It's with your sins that you have killed me
Thinking of your sins I die

Thinking how you'd let them touch you

How you'd never realise

That I'm ripped and hang forsaken

Knowing never will I rise

Again










domingo, 13 de julho de 2008

Acorda menina linda, vai oferecer o teu sorriso ao dia que acabou de nascer...

Each new day brings with it a new set of lies. The worst are the ones we tell ourselves right before we fall asleep. We whisper them in the dark, telling ourselves we're happy; or that he's happy. That we can change; or that he will change his mind. We persuade ourselves that we can live with our sins; or that we can live without him. Yes, each night before we fall asleep we lie to ourselves in a desperate, desperate hope that come morning, it will all be true.

sábado, 12 de julho de 2008

Tonight I have to leave it


MusicPlaylist
Music Playlist at MixPod.com

sexta-feira, 11 de julho de 2008

Meeesaa!!!

E para o jantar, hoje temos... Spaghetti!

quinta-feira, 10 de julho de 2008

Pronúncias

Descobri por mero acaso - fruto esse que da árvore da Ciência nascido, é o patinho feio da família -, a razão de ser das pronúncias.
Ora então vejamos, sabeis vós que o Mundo se encontra dividido em zonas no que diz respeito ao fuso horário:
Seja ela a Hora Média de Greenwich, GMT; o GMT+1; o GMT-2; ou o seu sucessor, o Tempo Universal Coordenado (UCT). As pronúncias seguem uma distribuição do género, mas na horizontal.
Reparem: comecemos por Espanha. Todos lhe conhecem a pronúncia melodiosa, a forma rápida de falar. À medida que nos vamos aproximando do Portugal, vai-se perdendo a rapidez e a sonoridade do apalavreado. Temos a língua Mirandesa lá num cantinho, o delicioso sotaque nortenho por esta zona, as tias de Cascais e os seus trejeitos de boca mais lá para baixo. Nas ainda-nossas-mas- só-lembradas-para-o-que-dá-jeito ilhas, temos (e reparem como tudo se encaixa), nas situadas mais perto d'África, o falar com a boca toda, resquícios da zona do dito continente, e nas mais lá para o meio do Oceano, influenciados quiçá, pelos peixes, temos o arquipélago do dicionário incompreensível, dos sons semi-prisioneiros de lábios quase fechados. Chegados às Américas, voltamos a ter a sonoridade do Brasil, Argentina, e demais países latinos.
Resumindo: temos então melodia decrescente de Espanha até aos Açores, e novamente impulsionada do outro lado do Atlântico. Estão a imaginar um mapa mundi com umas curvas tipo bossas-de-camelo, não estão? Com uma bossa em Espanha e outra na América, e o lombinho nos Açores. (Acho bem que estejam, que eu com o meu grandioso jeito para o desenho, aliado ao Paint, era mais provável que saísse uma vaca alada com reumatismo, do que qualquer coisa perceptível assim ao nível desta dissertação).

E pronto, assim me despeço, esperando escapar, pelo menos mais desta vez, a uma qualquer Autoridade de Saúde Pública que me descubra e me encarcere...

quarta-feira, 9 de julho de 2008

Thinking About You


MusicPlaylist
Music Playlist at MixPod.com


terça-feira, 8 de julho de 2008

Os Rambóias

Senhoras e senhores, meninos e meninas, é com incomensurável prazer, orgulho no que é nosso, e um daqueles sorriso nos lábios, como só coisas destas conseguem fazer brotar, que este blogue vos apresenta... Os Rambóias!!!


E perguntam-me vocês "Magnânime Bila, Senhora da Verdade, da Razão e de mais ninguém, como é possível que tamanha maravilha do panorama musical Português tenha permanecido incógnita até agora?" Pois não sei. Mas um facto é que acho que Santos Populares, Romarias em geral e afins e, quiçá, numa atitude de instantâneo devaneio, Queimas, têm perdido muito com o não conhecimento deste grupo. Eu, que nunca os ouvi, digo que nem isso é preciso! Basta olhar para eles... Aliás, de cada vez que eu penso em rambóia, vem-me logo à ideia moliceiros (em terra, que é mais estável), homens com bigodinho e de camisa amarelo-pálido apertadinhas até cima, e senhoras com almofadinhas nos ombros do casaco e sandalinha da moda, de fivela!
De mais a mais, propaganda não lhes faltou, já pois que no longíquo ano de 1998, Os Rambóias lançaram um calendário, cuja frente já vos dei a conhecer (já repararam que estão três deles a olhar para um lado e os outro três a olhar para outro? Tantos deviam ser os paparazzi!), e cujo verso já de seguida se vos desenrolará perante os olhos:

Este conjunto típico que conta já com oito, sim oito! gravações comerciais, faz mais festa na sua festa, e a mais não são pois obrigados!
É este tipo de coisas que dá luz aos meus dias. Estou maravilhada!

quinta-feira, 3 de julho de 2008

A raiva na ponta dos dedos

Não gosto de fotografias digitais. Não se podem rasgar...

quarta-feira, 2 de julho de 2008

Votação

Caríssimos! Não sei se se lembram de, aqui há tempos, vos ter feito saber que este vosso muito querido blog estava inscrito no Super Bock Super Blog Awards. Pois é chegada agora a altura das votações, e era mesmo giro se vocês não só votassem, mas arranjassem mais gente para votar! :D (é clicar ali em baixo no símbolo, e com pouco mais que nada, fica feito). E só assim, na base do incentivo, o prémio são €3000, e se eu os ganhasse, podia fazer-vos muito felizes ;)

Gondomar! Gondomar! \o/

terça-feira, 1 de julho de 2008

E o que andam a fazer com o Fado

Se o Fado era triste sina, arrebatava corações com melancolia, tristezas e afins, felizmente que alguém teve a coragem para lhe mudar o terrível destino que lhe havia sido traçado...

Os Fado em Si Bemol e os Deolinda andaram a brincar com ritmos e sonoridades. E saiu uma coisa muito boa. Convido-vos a visitarem os myspace deles. No entanto, deixo-vos aqui uns cheirinhos do que vão encontrar ;)

Fado em Si Bemol, A Moda das Tranças Pretas



Deolinda, Fado Toninho

segunda-feira, 30 de junho de 2008

gatos... e as suas gadanhas!




WTF?!

quinta-feira, 26 de junho de 2008

Blackbird





Com uma dedicatória especial, para o gelado que me levou ao hospital... ;)