sexta-feira, 4 de janeiro de 2008

Destiny

Hoje descobri algo que me apoquenta... E é sobre o Destino!! Alias nem é bem sobre o Destino.. eu descobri que nunca me arrependo! Sim eu sei que é estranho ao primeiro pensamento e claro que se pensa logo, "é obvio que ele se arrepende, so nao quer admitir". Mas o facto é que eu estive a pensar e rever a minha vida, cortei os pulsos a porta dum hospital e logo a seguir a toda a minha vida me passar pela mente fui rapidamente assistido, e na verdade nunca me arrependi. Se errei corrigi os meus erros, se devia ter feito aprendi a minha liçao e segui em frente, adiante com isto que nao é pela minha vida que aqui estamos... E isto leva-me a pensar, podem as pessoas que acreditam no Destino arrependerem-se de algo? Podem as pessoas que acham q tavam destinadas a ser atropeladas por aquele autocarro arrependerem-se de se terem posto a frente dele? Podem as pessoas que acreditam que tavam destinadas a apanhar chuva naquela manhã de temporal arrependerem-se de nao terem saido de casa sem o guarda-chuva?



3 comentários:

Enia disse...

Destino é algo que alguns acreditam e outros preferem simplesmente não acreditar, afinal é impossível para o homem que não sabe nem o porquê de sua existência, entender se o que acontece nesta sua existência é algo pré-determinado ou tudo depende de suas escolhas. Ora, será antinómico, para alguém que acredita no destino arrepender-se! Afinal está predestinado o que poderá acontecer! Para quem não acredita no destino, o facto de se arrepender é mais uma escolha que tem a tomar!

viet_vo_dao disse...

Porque disseste "...algo que alguns acreditam e outros preferem simplesmente não acreditar...", e não "é algo que alguns nao acreditam e outros preferem simplesmente acreditar"?

Enia disse...

O facto de eu ter dito, que uns não preferem simplesmente acreditar, tinha o intuito de aludir que são esses que banalizam a questão, ou seja, é-lhes indiferente existir ou não destino, os actos cometidos, ou a cometer, serão ponderados, independentemente de quê ou de quem.
Agora o facto de dizeres que, outros preferem simplesmente acreditar, dá a entender que estes não inertes ou que se passa na vida, e para o bem ou para o mal, vão aceitar a vida como ela é, sem fazer algo para a mudar! E se for do destino, essas pessoas serem capazes de mudar?
Conclusão, acho que é indiferente colocar a questão de uma forma ou de outra, uns acreditam e outros não! É simples!