sexta-feira, 28 de abril de 2006

É a relva do Campo Alegre


E eis que me vejo chegada a casa bastante bem-dispostinha... Depois de um dia de intenso trabalho, ao que nos querem fazer acreditar, facultativo (/me rebola os olhinhos... É porque é facultativo! 'Tá bem que só vai p'á faculdade quem quer, mas depois de lá se estar, a ver se não pesa na consciência quando não se vai às aulas! Pelo menos quando já se falta mais do que as vezes em que se vai... Ouvi dizer! *assobio*). Mas 16h (e mais qualquer coisita) que estavam passadas deste dia, veio o desejo de um geladinho... Digam o que disserem, andem por onde andarem, dêem as voltas que tentem dar, aquele edifício do Campo Alegre tem uma relvinha... Ui! Atrai que é uma coisa tola! Nestes dias em que o Sol se envaidece e faz questão de se mostrar a tudo e a todos na sua máxima pujança, então é que nem se fala... Munimo-nos então de gelados, e ala p'á relva. E que bem que se esteve!...

Houve de tudo um pouco, que se há coisa em que a nossa invicta é fértil, é em pontuações de paródia, salpicadas daqui e dali...
Eram os trolhas, que fizeram questão de nos surpreender, e diferenciarem-se de si mesmos, e em vez do belo do piropo, prendarem-nos com uns pouco-simpáticos (mas não menos divertidos) "inde trabalhar que daqui a uns anos nem vão ter dinheiro pá comida!", e outros que tais, dissimulados ou pela vergonha, ou pelo barulho do tráfego, ou mesmo pelo engonhar das palavras... Enfim, nós deviamos ficar chateados, eu sei que sim. E por momentos, ainda que diminutos, chegamos a pensar ficar... Quase que vacilamos... Houve até quem de nós se pusesse com teorias pseudo-parvas-ainda-que-com-bastante-fundamento-face-à-realidade- -por-nós-vivida-e-conhecida, de que os nabos dos trolhas são quem menos moral tem pa falar... Mas não vamos entrar por aqui... Não é de bom-tom falar-se de quem não está presente...
Eram os executivos (ui!) que passavam e nos mostravam a gravata... A gravata mesmo!!! Mas a ideia deles não há-de andar longe dessa que vos assolou por instantes... Por muito que ainda não perceba o que raio quiseram dizer com aquilo, só vos digo que não me parece que ande muito longe do significado da torre da CNN, dos tacões altos, e outros tantos objectos com a conotação que começa com fa- e acaba com -ica, e que pelo meio tem um l... Enfim, frustrados, nada mais me ocorre...
Eram os homens (ai!) nos seus Porsches... Sozinhos... Deixados ao abandono... E eu aqui, que até acho uma certa piada ao banco do passageiro... *suspiro*
Eram as loiraças usurpadoras de pensões de alimentos e sabe-se lá mais de quê, dos seus ex-, ou presentes, ou os dois! E quem diz dois diz... OK, n vamos entrar por aqui... (mas que eu cá sei o que elas são, isso sei!), a conduzirem os seus Mercedões, com amigas mais loiras e bEtAhS ao lado, como que a pavonear a estroinice por todo o Porto, e vá-se lá saber mais onde!
E eram os olhares de todos os que passavam, e que sentiam a bela da dor de coto por verem tamanho ajuntamento de juventude espraiado ao Sol, a curtir um fim de tarde esplêndido!
E foi assim que os carros amarelo Ice-Tea, e os verdes Sonasol, e os Brancos xD (/me morre! Porque tentei muito encaixar isto aqui e até conseguiu xD ), nos desenharam sorrisos na cara, e nos fizerem bem-dizer a relvinha do Campo Alegre.

Ai ai ai ai Ciências eu te adoro
Contigo estarei enquento estudar,
Quando te deixra eu choro

Ai ai ai ai Sofrem corações,
São lágrimas, mágoas e tantas saudades
É a relva do Campo Alegre

:D (autoria do precocito... não quero tirar louros a ninguém. E Meh, tira daí a ideia de pegares nesta frase dos louros, 'tá?)

1 comentário:

bila disse...

oh... só agora é que me dei conta... só lá faltou a marta para estar o blog em peso a apanhar com o belo do Sol :D ena...