quarta-feira, 30 de junho de 2010

O meu pai, esse ser super-hiper-mega-ri-atento

Chego eu a casa, com o cabelo arranjado, solto, liso, penteado, fashion, tudo antítese de como costuma andar: descuidado, preso, encaracolado, despenteado, banal, e pergunta-me ele:
-Onde foste?
Ao que lhe respondo, não sem antes o olhar com ar de "duh!":
-Ao cabeleireiro.
Mais atónita fiquei eu quando ele me diz:
-Deixa ver!
Fitei-o com ar de "oi?!" e diz-me ele:
-A sério? Não está igual?

Está meu pai, está...

Estou em crer que o meu pai passando por mim na rua, não me reconhece...

4 comentários:

Martinha disse...

lol os pais são todos iguais :D

who's yo' mama?! disse...

Ainda que esteja tentada a acreditar, acho que este prima por um particular alheamento da realidade...

Obrigada pela visita!

Caia disse...

Não é a questão de ser pai, é ser homem... lol

who's yo' mama?! disse...

Não generalizei dessa maneira porque (felizmente) já me cruzei com homens bastante atentos ;)